Equinox > Atividades > Atividades Artísticas

Patrimoniais | Artísticas | Audio-Visuais | Musicais

Atividades Artísticas

Exposição "Arte do Islã"

Consultoria internacional para a ARTE A Produções Culturais

O projeto propõe a realização da exposição ARTE DO ISLÃ com o objetivo de mostrar ao grande público, de forma única, inédita e acessível, a abrangência do Mundo Islâmico. Contará com uma seleção de aproximadamente 500 peças de arte islâmica provenientes de vários acervos de Museus e Instituições Internacionais de renome. A exposição será composta por obras que abarcam os 1400 anos de história e artes e das mais de cinqüenta nações do mundo muçulmano.

A exposição já está programada para ser inaugurada em 11 de outubro 2010 no Centro Cultural Banco do Brasil no Rio de Janeiro, na data da comemoração dos 60 anos da instituição. Os trabalhos de captação continuam sendo realizados para conseguir um ou dois patrocinadores adicionais visando dar suporte às demais etapas fora do Rio de Janeiro e, eventualmente - em havendo interesse por parte do(s) novos(s) patrocinador(es) - promover a exposição “Arte do Islã” numa quarta localidade no país.

CCBB RIO DE JANEIRO: 11 DE OUTUBRO 2010 A 30 DE JANEIRO DE 2011
CCBB BRASÍLIA: 28 DE FEVEREIRO DE 2011 A 29 DE MAIO DE 2011
CCBB SÃO PAULO: 27 DE JUNHO DE 2011 A 28 DE SETEMBRO DE 2011
4ª. LOCALIDADE BRASIL( SUL): ÚLTIMO BIMESTRE 2011 (A CONFIRMAR)

Registrado sob o número 7503 no Ministério da Cultura (PRONAC) em 10/7/2009

Objetivos

Realizar a exposição ARTE DO ISLÃ com uma seleção de aproximadamente 300 peças de arte islâmica provenientes dos acervos internacionais mais prestigiosos.

Mostrar ao grande público, de forma única, inédita e acessível, a abrangência do Mundo Islâmico.

Mostrar um conjunto de obras de origem, tanto religiosa quanto secular, que percorrerão alguns temas como: as artes dos manuscritos; especialidades caligráficas; peregrinação; tesouros e artes do cotidiano; pintura em miniatura; tapetes e tecidos; instrumentos e descobertas científicas; artes militares; interação com Europa, dentre outros.

Propiciar, através da exposição ARTE DO ISLÃ, uma visita inesquecível ao Mundo Islâmico e, conseqüentemente, a reflexão sobre a complexidade de sua história refletida nas artes e na cultura.

Prevemos realizar um catálogo ilustrado completo, bilíngüe, português e inglês, que conterá as descrições das obras apresentadas e estudos antológicos e atualizados sobre o tema.

A nossa proposta inicial é endereçada de modo preferencial às sedes do Centro Cultural Banco do Brasil nas cidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília, sendo certo que já faz parte do calendário do CCBB Rio de Janeiro com inauguração a ser realizada em 12 de Outubro 2010. Contudo, a exposição poderá ter caráter itinerante por outras cidades do Brasil, de acordo com os recursos captados. Desta forma está sendo também apresentada a outras instituições e patrocinadores.


Justificativa

ARTE DO ISLÃ é uma mostra de excelência e sem precedentes no Brasil. Na passada e atual década, exposições similares sobre esse tema tem sido realizadas em importantes países como Suíça, Inglaterra, Estados Unidos, Austrália e França. Esse volume coincide com a relevância das exposições sobre as artes regionais onde novos conceitos de “colecionismo” são apontados por renomados estudiosos da cultura.

A exposição contará com uma seleção de aproximadamente 500 peças de arte islâmica realizada pelo curado da ARTE A, provenientes dos acervos de vários museus e instituições internacionais de grande prestígio e renome. A mostra de abrangente visão das artes e da sabedoria doméstica de uma das três maiores culturas da humanidade atrairá o interesse e a curiosidade do público em geral, assim como historiadores e especialistas.

A riqueza dos povos compreendidos dentro de uma grande área territorial, desde regiões periféricas ocidentais ao Oriente Médio e o Norte da África, definem a complexidade e unidade do Islã. A sua evolução que terá como coeficiente principal essa movimentação, corresponderá com o período que vai de seu início e formação, no ano 622 D.C. até o século XIX em que começa a diluir-se com as influências do Ocidente. Desde que o Profeta Maomé define a religião islâmica com o seu trajeto simbólico até a Meca, o preceito de avanço territorial avassalador será indissociável da arte que já foi chamada de muçulmana, árabe, mozárabe, mourisca, segundo os diversos graus de conversão, e os tipos de mistura com outras demarcações étnicas homólogas.

Logo, são dois os princípios do estudo de uma arte de seu tipo: os caracteres da sua própria evolução histórica e a sua posição no intercâmbio com culturas alheias. Será determinante para a conformação de uma exposição como esta a unidade do Islã, ou seja, seu caráter de evolução própria.

De um lado aparece a unidade nas formações dadas nas hierarquias e critérios artísticos estabelecidos pelas cortes de Bagdá, Índia, Turquia, dentre as mais importantes. Do outro, ricos estilos e as técnicas das diferentes civilizações e povos conquistados serão introduzidos por hábeis mecanismos de absorção.

O principal contraste com o Ocidente e relativo à sua unidade é a primazia absoluta conferida às artes do Livro que são três: as requintadas edições do Corão, as artes caligráficas e as miniaturas que serviam de ilustração. Cada uma delas, devidamente apresentadas desde o seu valor diferencial de obras maiores dentro do conjunto das artes plásticas.

Contudo a exibição fornece um exemplar dinamismo da base conflitante e de influências que esta cultura constantemente traça com relação ao Ocidente. Questões que já tem uma história dentro das exposições brasileiras programadas também nas sedes do CCBB como Arte de África (RJ, BSB, SP- 2004) e "Nippon -100 anos de integração Brasil-Japão" (SP, RJ, BSB, 2008). Tais são as revisões dos estabelecidos critérios de artes decorativas como artes maiores e até o possível subseqüente passo dado à reflexão sobre o aporte que traz esta cultura para a época moderna e contemporânea.

De modo que o item de aproximação com outras culturas deixará transparecer a relação aberta/fechada com as culturas vizinhas. Algumas visíveis nos excelentes exemplares em tecidos, vidros esmaltados, trabalhos em metal e cerâmicas que das adaptações dos estilos de Síria, Pérsia e Egito mas que acrescentará as suas inovações técnicas. Outras tangíveis quando aparece o novo estilo do Islã, de elaborados projetos arquitetônicos e de decoração recriados com base nas matemáticas e com o selo artístico de usar a caligrafia entre os séculos de domínio central. E por fim as diferenças mais visíveis que trazem eventuais mudanças da norma, que surge na relação com as cortes européias já em conformidade com o século XIX.

Com a exposição ARTE DO ISLÃ se terá a oportunidade de ver como as artes podem ser relacionadas com a territorialidade, assimilação e construção de saberes científicos muito avançados, como diferencial de uma visão própria de mundo. Mediante uma organização esmiuçada, as obras geralmente esparsas, quando não afogadas, nas coleções de cortes européias que abundam os museus do XIX serão expostas com critérios de um olhar histórico rigoroso e totalizador. O apoio de mapas, calendários e glossários irão apontando uma completa descrição do fenômeno cultural.

 

 

Equinox do Brasil - todos os direitos reservados
by TUSKAN design